Viajando sem sair de casa
Dicas

Viajando sem sair de casa

Já pensou em conhecer culturas, pessoas e novas realidades sentado no sofá da sala? Não, não estamos falando de Netflix, televisão ou computador. Hoje vamos falar sobre ser um host. Quem sabe criar um hostel dentro de casa?

Há sites bem intuitivos e seguros para receber um hóspede em sua casa e hoje queremos falar sobre dois:

Couchsurfing:

a hospedagem é totalmente gratuita tanto para quem vai utilizar quanto para quem vai hospedar. Você faz um cadastro com algumas fotos sua e/ou da sua família e coloca informações básicas sobre o local que você pode hospedar e quantas pessoas cabem. E então é só ficar de olho no aplicativo. As pessoas vão postar que querem se hospedar na sua cidade e a quantidade de tempo e você vai aceitar ou não essa hospedagem. Normalmente rola um contato antes feito via mensagem direto pelo aplicativo. Somente depois de aceito ela consegue ter acesso total aos seus dados.

Essa é uma rede de contatos que espera ligar pessoas que têm o interesse de viajar gastando bem pouco e pessoas que têm o interesse de ajudar essas outras pessoas a viajarem gastando bem pouco. Na maioria das vezes, depois de tudo isso os hosts (pessoas que disponibilizam o espaço) e os guests (hóspedes) acabem invertendo os papéis. Nunca usamos o couchsurfing, mas o casal Romulo e Mirella usam com bastante frequência e vivem falando em seus vídeos sobre essa experiência. (dica ótima para quem ama viajar pela tela do computador também!)

Airbnb:

Esse aqui nós já falamos várias vezes como opção para se hospedar. Mas o papo de hoje é o inverso. O site é bem intuitivo. Na sua própria conta de hospede você pode criar um (ou vários) anúncios do seu espaço. A própria plataforma já te guia para preencher com as opções ideais para conseguir fazer com que as pessoas se interessem pelo que você está oferecendo. Seja um espaço inteiro ou um espaço compartilhado. Nesse caso, a hospedagem é cobrada e o mais legal é que o site já te dá a opção de quanto você pode cobrar pelo seu espaço considerando as comodidades oferecidas. Depois do anuncio no ar seus futuros hóspedes vão entrar em contato via mensagem e você vai poder acertar com eles todos os detalhes. Como valores, datas e horários de entrada e saída, bem como conhecer um pouco sobre a pessoa que você vai hospedar. E são vários detalhes bem bacanas sobre o Airbnb que quase ninguém sabe, como por exemplo:

  • há um seguro de um milhão de dólares para o host caso o hóspede o roube ou faça algo muito bizarro na sua casa.
  • Toda a assistência do site é feita de forma rápida e gentil e qualquer problema em ambas as partes pode ser resolvido pelo site.
  • O pagamento é feito em depósito ou via Paypal (dependendo da região que você mora).

A dica especial é: caso você fale outras línguas, faça um anúncio em cada uma delas, o site é muito usado em todo o mundo e falar a língua do seu hospede é certamente um diferencial.

Opinião pessoal:

Eu, Mariana, já aluguei um quarto extra da minha casa e recebi minhas hóspedes durante os jogos olímpicos. Claro que fiquei receosa antes delas chegarem, deixei tudo bem arrumadinho, confirmei o horário da chegada, deixei chocolate em cima da cama, tudo no maior mimo para agradá-las.

Elas não se conheciam. Foi uma chinesa e uma gaúcha. Desde o principio das conversas uma preocupação minha foi deixar tudo bem claro sobre regras e acesso dentro de casa. O que elas podiam ou não fazer, quais lugares que elas podiam ou não utilizar, como funcionaria a limpeza do quarto e quais seriam os serviços incluídos na hospedagem.

As meninas foram ótimas e além do dinheiro extra, nos sentávamos no sofá várias noites durante a semana e ficávamos conversando sobre a cultura e costumes de cada uma.  Descobri, por exemplo, que o biscoito da sorte não é chinês e sim uma invenção totalmente americana. Também concluí que os gaúchos tomam chimarrão (ou mate – que é a mesma coisa) todo dia e se possível mais de uma vez ao dia.

Ou seja, foram três semanas passeando pelo mundo sentada no sofá da minha casa. Sem falar que de quebra ainda é possível treinar o inglês! Resumindo: somente experiências positivas!

Já hospedou alguém? Conhece algum site diferente de hospedagem? Teve alguma experiência diferente? Teve alguma experiência ruim? Conta pra gente aqui nos comentários!

Similar Posts

Inscreva-se
Notifique-me sobre
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários