fbpx

O que fazer em Galway – Roteiro de 3 dias (dia 1)

Nossa primeira pequena grande viagem para o interior do país que vem sendo a nossa casa pelos últimos meses (Irlanda) foi a Galway: famoso principalmente por ser a cidade que serve de base para conhecer o principal ponto turístico irlandês: Cliffs of Moher. Resolvemos passar lá o feriado de Natal, o que nos trouxe pontos positivos e negativos. Vamos falar deles nesse post do Roteiro de 3 dias em Galway. Então, se quiser saber o que fazer em Galway, vem com a gente!

Chegando em Galway

Tínhamos dúvidas sobre ir de trem, ônibus ou carro. Já que pelo nosso roteiro precisaríamos de um carro para passear pela região. Depois de pesquisarmos e fazermos conta, preferimos pela opção de alugar um GoCar (Use o código 84ry41 para se cadastrar e ganhar €10 na sua primeira viagem! Clique aqui) lá e fazer o transporte de Dublin até Galway de trem.

Nosso companheiro de viagem em Galway

Porque não pegamos um carro alugado em Dublin? Primeiro porque, como em todo o canto, quando você aluga um carro em qualquer parte do mundo, eles te pedem um depósito (alto) de segurança feito em cartão de crédito. Como só temos cartão de crédito no Brasil esse valor seria ainda mais alto, o que tornou nosso plano praticamente inviável. Também levamos em consideração que praticamente não usaríamos o carro no primeiro dia, já que reservamos ele para passear pela cidade. O que nos levaria a pagar uma diária a mais que não seria utilizada.

Também demos uma pesquisada no preço do ônibus de viagem, já que poderia ser uma opção mais barata. E até é, sendo que a diferença fica em míseros €2. Escolhemos ir para Galway de trem, já que seria uma experiência nova. Entretanto, quando fomos comprar os tickets, em torno de 10 dias antes, descobrimos que o trem não faria rota no dia 26/12 (olha aí a importância do planejamento!). Aqui na Irlanda dia 26/12 é feriado dia de St Stephen Green além de que é uma data de promoções em todo o país. Provavelmente mais forte até que a Black Friday. Portanto, todas as coisas além dos comércios ficam fechadas nesse dia. Resultado: compramos a ida de trem e a volta de ônibus. E aqui vai uma dica importante: a maioria dos trechos de ônibus e trem na Irlanda tem tarifas específicas (e mais baratas) para estudantes. Caso você seja, não se esqueça de verificar antes da compra. (Se você for um estudante de mais de 3 meses na Irlanda, o seu LeapCard serve como comprovante nesse caso).

A viagem de trem foi muito legal! Nós saímos da estação Heuston em Dublin. Quando entramos no trem e procuramos por nosso assento, descobrimos que eles vem com nosso nome. Foi muito divertido ter essa experiência. Além de super confortável e estável. Saímos de Dublin por volta das 8am e chegamos em Galway depois de 10am. O trem tem o serviço que vende comida, mas você pode optar por levar a sua e lanchar por lá (fizemos a segunda opção). Todas as cadeiras tem uma mesa na frente e tomada para recarregar seus aparelhos eletrônicos (tomadas! não USB. Se tiver em viagem pela Irlanda certifique-se de pegar um adaptador).

Hospedagem

O melhor custo benefício que encontramos foi pelo Booking numa pousada, conhecidas aqui como Bed and Breakfast. Nos hospedamos na Tisara Guest  House. A localização não é exatamente no centro (em torno de uns 20 min caminhando), mas o preço é ótimo, a casa é super limpinha, atendimento é demais e o café da manhã é à vontade (as coisas ficam à disposição na cozinha, é só preparar e se servir). Escolhemos por um quarto de casal privado e banheiro compartilhado. A pousada disponibiliza toalhas e itens básicos de higiene.

Assim que descemos na estação, fomos caminhando até lá. O nosso check in era somente a partir das 16h, mas arriscamos ir antes para tentar somente deixar a mala. Demos sorte de nosso quarto não estar ocupado e pronto para nos receber. Fomos autorizados a entrar mais cedo.

Passeios do dia

Como já mencionamos, no primeiro dia escolhemos somente conhecer e caminhar pela cidade. E como caminhamos. Como chegamos no dia 24/12, sabíamos que muitos dos museus e atrações poderiam estar fechadas. Nossa primeira parada foi na The Spanish Arch: uma pequena ponte na beira do rio da cidade de frente para o Museu de Galway. O museu estava fechado, então passeamos por ali, tiramos foto do local e aproveitamos a paisagem por alguns minutos. Essa região também é chamada de The Long Walk.

The Spanish Arch

The Long Walk

Depois fomos para a rua do comércio – e a mais importante da cidade – Quay Street e a praça Eyre Square. Ali também encontramos a feira de artesanato local, o Galway Market. Almoçamos em um restaurante simples de buffet no centro: grande erro. Não sabíamos, é claro, mas esse foi o nosso único contato com a culinária da cidade. Vamos logo contar o por quê. Nessa região do centro também é onde você encontra a loja considerada oficial das jóias de Galway – e o famoso anel das duas mãos com formato de coração, famoso em todo o mundo e um dos símbolos da Irlanda, o Claddagh Ring.

Loja onde vende o famoso anel de Galway (Claddagh Ring)

Depois fomos até a Salmon Weir Bridge e, de frente para ela, a Catedral de Galway.  E entrada na igreja é gratuita, mas eles pedem uma doação voluntária de €2 por pessoa e vale o passeio. O lugar é grandioso e muito bonito. Aproveitamos a data especial para fazer nossos agradecimentos de um 2018 tão incrível que tivemos.

Catedral de Galway

Saindo de lá fechamos o dia em Salthill Promenade, a praia de Galway. E nem de longe espere encontrar uma praia brasileira. A areia não é fofa e nem branca e a praia não tem ondas. Mas a região é muito bonita e vale a pena a visita.

Salthill Promenade

A noite em Galway

Nosso plano era voltar para o hotel e encontrar um (ou uns) pubs para passar a noite de Natal. Na Irlanda não é tradicional fazer uma grande ceia no dia 24/12. Eles normalmente fazem isso no almoço do dia 25 – o que faz do dia 24 um dia normal. É comum também na época de Natal os irlandeses sairem para fazer os 12 Pubs de Natal. Trata-se de um roteiro de 12 Pubs e cada um tem uma regra específica como por exemplo tomar sua bebida somente com a mão esquerda ou chamar seu amigo somente pelo sobrenome. A gente tinha a intenção de fazer algo desse tipo.

Então voltamos, passamos no mercado para comprar uns petiscos, comemos na pousada, tomamos um banho, descansamos um pouco e saímos para a nossa noite de natal. Foi a maior ingenuidade do mundo achar que teria alguém trabalhando. Estava absolutamente tudo fechado. Acabamos voltando para o quarto sem comer, beber ou conhecer qualquer pub em Galway.

São as coisas que acontecem quando você escolhe viver longe da família e viajar para um lugar diferente em datas especiais. A gente meio que sabia que isso poderia acontecer e lidamos com a situação da melhor forma que era possível: dormimos.

Já passou por alguma situação assim longe de casa? A gente tá curioso para saber sua história! Conta nos comentários.

 

 

 

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.